by Max Barry

Latest Forum Topics

Advertisement

3

DispatchAccountCulture

by The Kingdom of Venardia. . 8 reads.

Candidatos venardos a patrimônio universal

Venàrdicum

As ruínas da Montserrat leucana. Localizadas no coração da capital venarda, as ruínas da cidade, porto e centro político foram redescobertas no final do séc. XVIII. Em uma área de 35 hectares, é possível ver exemplos da arquitetura e do urbanismo leucanos, em edifícios civis, religiosos, comerciais e residenciais em bom estado de conservação, englobando um arco de tempo entre o século V e III a. O. Há uma parte do parque que foi restaurada, para dar uma ideia do que era a vida em uma cidade do Império leucano. A cidade fora “riscada do mapa” em 230 d. O. por conta de uma tempestade de proporções cataclísmicas, que a cobriu com os sedimentos do rio Miravell e do mar.

Conjunto de Torres-Fortalezas do Estreito

No Estreito que separa Venárdia e Lysandus e na ilha adjacente de Sinápora, durante os séculos XII e XIII foi erguido um conjunto de doze fortalezas para impedir avanços e invasões lísias e controlar o estreito. Erguidas com as pedras brancas da província de Monfort (o famoso granito monfortino), as fortalezas são de estilo eclético, como uma predominância do élfico-leucânico primário. A mais alta, de Roncesvalles, tem 35 metros e uma visibilidade de 21 km nos dias claros.

Cidadela Medieval de Montserrat

Adjacente às ruínas de Venardicum ergue-se a cidadela de Montserrat, que forma o centro histórico. Com edifícios predominantemente medievais, no espaço estão preservados edifícios como o Palácio Real (s. XV), o Templo Maior de Montserrat (s. XIII) e ainda edifícios comerciais e residenciais (s. XII-XVI). Todo o conjunto é tombado pelo Patrimônio Histórico Nacional e, no começo do século passou por uma restauração completa, que demorou quase dez anos.

Castros Neolíticos de Navarreta-Venárdia Terra-Firme

Em várias localidades dessas duas nações domésticas há estruturas circulares de pedra conectadas entre si, que eram os alicerces de povoações fortificadas dos povos pré-leucanos. As maiores são as de Tremill (Comarca de Canyada Terra-Ferma/Venárdia Terra-Firme), Verticell (Comarca de Vallombrós/Navarreta) e Óstria (Comarca Santesina/Navarreta). Neste último há uma reconstrução das paliçadas e das estruturas de madeira que formavam as casas, com tetos de palha. Os Castros são de extrema importância para o estudo dos povos pré-leucânicos da Venárdia, como os talagões e os venárdicos.

Nuragues de Arrúndines/Orenetes

Localizados na Ilha Meio-Dia, os nuragues são traços de uma povoação neolítica pré-talagônica datada dos sécs. XII-X a. O., chamada cultura meridiônica. Ao contrário dos Castros, essas construções, organizadas em um conjunto defensável, eram torres de pedra que poderiam chegar a dez metros de altura. Da maioria existem apenas as fundações, mas a chamada Torre Principal conserva 4,5 metros de parede acima do nível do solo. Foram encontrados cacos de cerâmica esmaltada decorada com motivos geométricos e objetos de bronze. Durante muitos anos, parte da Torre Principal era a parede de um celeiro, mas o arqueólogo Raimon Cercarelles desconfiou que as paredes do celeiro da propriedade de seu pai eram muito mais velhas e começou a escavar o terreno, isso em 1896. Em 1900, praticamente todo o terreno de três hectares com os restos da fortificação estavam escavados, com achados realmente impressionantes. A descoberta dessas ruínas mudou a história como se conhecia até o momento, pois quando os leucanos chegaram à ilha, ela era desabitada. Não se sabe o que ocorreu com a cultura meridiônica, já que nas ruínas não foram achadas ossadas.

Bairro Élfico de Salador – Salador é sede da Comarca da Baixa Manresa (Mérida), no sudoeste da Ilha Maior. No centro histórico deste município pacato está parcialmente conservada a cidade élfica de Salabdrû (‘Erva escura’ ou ‘floresta da erva’), com suas casas de pé-direito baixo e suas técnicas construtivas únicas, com uso abundante de eixamel. Trata-se de único exemplo remanescente de urbanismo élfico na Venárdia, construído no século X da presente era.

Imagem de Nostra Senyora Mare Despina, a Moreneta

Localizada no Templo Maior de Montserrat, a estátua representa a missionária Despina, religiosa herak que veio catequisar a Venárdia após a queda do Império Leucano. Martirizada por parte da população local, tornou-se santa por Decreto da Diarquia Pantarista do Ocidente ainda no século XII. A estátua foi achada em uma caverna por dois pescadores, os beatos Pere Filbuster e Francesc Darròdia no século XVI. Datada do século XII, a estátua em estilo medieval tornou-se responsável por vários milagres que lhe foram atribuídos. A criança no seu colo seria a representação da ilha da Venárdia Velha sob a proteção de Pantariste. Todo ano, no Dia Nacional da Venárdia (22 de setembro), há uma grande procissão seguida de celebrações em sua honra.

The Kingdom of Venardia

Edited:

RawReport